sexta-feira, agosto 30, 2019

Hoje

A única partida errada
Foi não desenhar pegadas.

A vida morde doído
Enquanto a morte descende
Diante de atos esquecíveis.
Blindados
por vaidade e erosão
 

Salva da represa influxo.
Musgo-albino,
água-morta.
Por um pescador-astrolábio.

Veja bem.

quarta-feira, agosto 21, 2019

Tristes Trópicos

Morar de favor é um inferno




Depois de holywood mon amour
When doves cry and crows are alive
Volto para o agora
meus cães velhos e seus tumores.

Tratarei de administrar a morte
Com ética e amabilidade;
Sei como funciona essa carga
De coragem.
Tratar em silêncio e amor
Daqueles que se despedem.

A mãe está bem.
Sempre estará.

Eu não existo.
Mas isto,
não me faz a menor falta.
Imagem.jpeg

Depois de holywood mon amour
When doves cry and crows are alive
Volto para o agora
meus cães velhos e seus tumores.

Tratarei de administrar a morte
Com ética e amabilidade;
Sei como funciona essa carga
De coragem.
Tratar em silêncio e amor
Daqueles que se despedem.

A mãe está bem.
Sempre estará.

Eu não existo.
Mas isto,
não me faz a menor falta.

quarta-feira, julho 22, 2015

La chica de ayer

 


O resto da vida

Eu e a cinza sombra de nódoa vínculo.
nosso consenso reverbera diante dos altares 
sem deuses do paleolítico.

Seu não olho em meu ouvido.
A ida que eu promovo daqui
Para um novo nada. 
Para o sinistro foco de nova vida.
esquálido arco íris cor de rosa lírica.

 Abismos em cadeia de testes de ancestralidade genética
 não me dirão se te conheço de algum lugar.
 
De meus passos pegadas suas rasteiras inéditas.
Meus livros atrás de nossos ex-eternos rastros.
Nossos pestos socados lado a lado.

Meus mundos dentro desse
Convexo canalha cômodo confesso de

alianças nunca trocadas.
Sem  presente de aniversário.

Sem corpo dentro da piscina 
Com ária linda e vela e líquido de líquens e chuvas de meteoros imprecisas.
Sem

musgos de minas
E muros de arrimo.
Sem 
cólicas de colocón.
Vai saber.

nada importante
piscina, véu, escapulário, astrolábios,
 muito menos: relógios de areia.

 bem  menos catarses. Galáxias. Tempos Geológicos
. Candomblés. Ciclos de auroras boreais ou a contagem regressiva de tal geiser.

 A idade imprecisa de tal rocha.
nosso possível 
Desorizonte vertical.

Não era importante.
Eu líquido.

Enquanto esperava
Pelo menos mãos cruzadas.
olhar de hoje, dedos inúteis diante  das eternas teclas tamborilando no máximo uma batucada.

nítido o mundo dinâmico de novidade em posts.


escapismo de tentáculos suaves ...fugas escrotas de um bom olhar mudo.


respeito seu olho na tela.
Completaria ainda suas frases porque pelo menos ainda tenho:
Palavras.

  
Não 

Tenho de perambular mais pelas encostas desse abismo overdesirebabe

Desista

De entender meu tédios de de seu nunca.
 Sem chance 
de repetir esses pandemônios ...

Ja tenho quem me salve
De meus demônios coloridos

Ja tenho quem releve
Meus desvios.




sábado, setembro 07, 2013

A FÚRIA É UM PRIVILÉGIO


"Esse priivilégio de sentir-se em casa em qualquer lugar pertence apenas aos reis, às prostitutas e aos ladrões" ( Balzac)....voilá...


Simples enredo soube agora. Algum troço de ódio olfato lírico compêndio calado ecumênico e sorte para o próximo. Distante a vida me escorre em ritmo oxigênio. Preciso de vergonha na cara e carboidratos. Assumo meu lento e caído excesso. Repetitivo pode ser para quem não presto. Para quem não presto não me interessa nem o nome. Para quem eu não presto eu sei, é quem não me come. Enquanto isso, curiosity engatinha e fotografa minha nova ilha de excessos. Para aqueles que não toleram esse incêndio, essa enchente, essa seca, aprendam de novo um melhor alfabeto preliminar, umas consoantes menos dissonantes, umas vogais menos abertas, mais primitivas, mais carnívoras, e Prestes contábeis desaforos solenes ao céu, como eu faço, em silêncio, desde o príncipe momento agora eu não aceito remendo. Cale essa ressaca esse ódio esse inferno do seu jeito ou eu nunca mais deixo, você escutar a minha voz.

sábado, agosto 31, 2013

COM O APOIO DO CONGRESSO


Calo a terceira boca preliminar de agora. Não confirmo mais a presença. Os espiões da cia estão por todos os cantos líricos. A cidade, meus filtros, o eterno engodo. O apoio do congresso. A faixa de gaza.  A falta de gaze no Pará. O gás de lá,  onde Obama Bin Laden vai jogar seu avião em mim. O lucro certo. Os linguines putinescos. A fiscalização. Os remendos, as bolsas Hermés, os botijões de gás das milícias, os juros, as prestações, as crianças, somos nós. Ruínas e rugas. A minha vida calada. O meu perfume usado. O meu lugar.A BAHIA  E AS CASAS BAHIA. As esquinas de golã. O trabalho escravo da mob, da zara, aqui,  no Bom Retiro. 100 homens de Bangladesh escravizados na Brasília amarela de Niemeyer. O arroz podre de seu confinamento. Tudo, com o apoio do congresso.sará mago??? Donde estamos???

T S Eliot

Hoje

A única partida errada Foi não desenhar pegadas. A vida morde doído Enquanto a morte descende Diante de atos esquecíveis. Blindados ...